Desemprego...

Desemprego!
Ontem compareci no Centro de Emprego em Odivelas, para ver se havia trabalho.
Ao chegar, vi um cartaz que dizia:
"Precisa-se de Assistente de Ginecologista"
Foi ao balcão e perguntei:
- Pode dar-me mais informações sobre este emprego?
O funcionário:
- Com certeza. O trabalho consiste em preparar as pacientes para o exame.
Deve ajudá-las a despir-se e lavar cuidadosamente as suas partes genitais. Depois faz a depilação dos pêlos púbicos com creme de barbear e uma gillete novinha. A seguir esfrega gentilmente óleo de amêndoas doces, de forma a que elas estejam prontas para ser observadas pelo ginecologista.
O salário mensal é de 2.500 Euros.
Mas o senhor tem de ir até Loures...
- É lá o emprego?
- Não, é lá que está o fim da fila...

Tosgas...

Ontem fui a um Bar com um amigo:
-Estás a ver os dois velhos naquela mesa ?
-Estou, porquê ?
-Daqui a uns vinte anos estamos assim !
Ele olhou para mim e disse:
-Óh António, é melhor parares de beber...
Aquilo é um espelho!

O Idiota...

Conta-se que numa vila do interior um grupo de pessoas divertiam-se com o idiota da aldeia...
Um pobre coitado, de pouca inteligência, vivia de pequenos biscates e esmolas.
Diariamente chamavam "o idiota" no bar onde se reuniam e ofereciam-lhe a escolha entre duas notas:
Uma "grande" de 5 Euros e outra "menor", de 50 Euros.
Ele escolhia sempre a maior e menos valiosa, o que era motivo de risos para todos.
Certo dia, um dos membros do grupo chamou-o e perguntou-lhe se ainda não tinha percebido que a nota maior valia menos.
- Eu sei! - respondeu o tolo - Ela vale 10 vezes menos, mas no dia em que eu escolher a outra, a brincadeira acaba e nunca mais irei ganhar nenhuma nota!
Podem tirar-se várias conclusões dessa pequena narrativa.
A primeira:
Quem parece idiota, nem sempre é.
A segunda:
Quem eram os verdadeiros idiotas da história?
A terceira:
Se fores ganancioso, acabas por estragar a tua fonte de rendimento.
A quarta e mais interessante é:
A percepção de que podemos estar bem, mesmo quando os outros não têm uma boa opinião a nosso respeito.
Portanto, o que importa não é o que pensam de nós, mas sim, quem realmente somos.
Moral da História...
"O maior prazer de uma pessoa inteligente é fazer-se de idiota, diante de um idiota que julga ser inteligente"

A Tese...

A Tese...
Num dia lindo e ensolarado, o coelho saiu da sua toca com o notebook nas patinhas e, pôs-se a trabalhar, muito concentrado. Pouco depois passou por ali a raposa, e, viu aquele suculento coelhinho tão distraído, que até sentiu as pernas a tremer e a boca a começar a salivar. No entanto, ficou intrigada com a actividade do coelho e aproximou-se, curiosa:
- Coelhinho, o que é que estas a fazer aí, tão concentrado?
- Estou a escrever a minha tese de doutoramento - disse o coelho, sem tirar os olhos do trabalho.
- Hummmm... e qual é o tema da tua tese?
- Ah!! É uma teoria provando que os coelhos são os verdadeiros predadores naturais das raposas. A raposa ficou indignada:
- O QUÊÊÊÊ ? Isso é ridículo! Nós é que somos os predadores dos coelhos!
- Negativo! Vem comigo à minha toca que eu mostro-te a minha prova experimental. O coelho e a raposa entram na toca. Poucos instantes depois ouvem-se alguns ruídos indecifráveis, alguns grunhidos e depois silêncio...
De seguida, o coelho sai, sozinho, e mais uma vez retoma os trabalhos da sua tese, como se nada tivesse acontecido. Meia hora depois passa um lobo.
Ao ver o apetitoso coelhinho, tão distraído, agradece mentalmente à cadeia alimentar por estar com o seu jantar garantido.
No entanto, o lobo também acha muito curioso um coelho trabalhando com aquela concentração toda. O lobo resolve então saber do que se trata aquilo tudo, antes de devorar o coelhinho:
- Olá, jovem coelhinho! O que te faz trabalhar tão arduamente?
- A minha tese de doutoramento,.
- Hummmm...Estou a perceber, e qual é o tema da tua tese?
- É uma teoria que venho desenvolvendo há algum tempo e que prova que nós, coelhos, somos os grandes predadores naturais de vários animais carnívoros inclusive dos lobos. O lobo não se conteve e, até se engasgava de riso com a petulância do coelho.
- Ah, ah, ah, ah!!! Coelhinho! Apetitoso coelhinho! Isto é um despropósito. Nós, os lobos, é que somos os genuínos predadores naturais dos coelhos. Aliás, chega de conversa....
- Desculpe, mas se você quiser eu posso apresentar a minha prova experimental. Gostaria de me acompanhar à toca?
O lobo não consegue acreditar na sua sorte.
Ambos desaparecem dentro da toca.
Alguns instantes depois ouve-se uivos desesperados, ruídos de mastigação e... silêncio. Mais uma vez o coelho volta a sair, sozinho, impassível e de volta ao trabalho de escrever a sua tese, como se nada tivesse acontecido.
Dentro da toca do coelho, vê-se uma enorme pilha de ossos ensanguentados e peles de diversas ex-raposas e, ao lado desta, outra pilha ainda maior de ossos e restos mortais daquilo que um dia foram lobos.
Ao centro das duas pilhas de ossos,... ... um enorme LEÃO, satisfeito, bem alimentado, a palitar os dentes.
MORAL DA HISTÓRIA
Não importa quão absurdo é o tema da tua tese!
Não importa se ela não tem o mínimo de fundamento científico, moral ou prático!
Não importa que os teus escritos nunca passem de teoria empírica!
Não importa, nada mesmo, que as tuas ideias vão contra o mais óbvio dos conceitos lógicos...
O que importa é QUEM É O TEU PADRINHO!